domingo, 27 de junho de 2010

Regresso

                                                                                    Andam no ar

Poemas negros
De cor amarga
Misturados à voz rouca
Dos camiões.
Desertas
Frias
Despidas
As cubatas esperam:
Mulheres e homens,
Nas cubatas,
Vozes
Riem
Escutam
Choram
Histórias iguais a muitas.
Nalgumas
O pranto
Inda é maior.

(Antologias de poesia da Casa dos Estudantes

do Império - Angola e S. Tomé e Príncipe)

sábado, 26 de junho de 2010

Existe Honestidade em Angola?


Creio que não há um dia em que não seja noticiado na imprensa nacional um caso de corrupção, o mais caricato é que depois quase nunca existem consequências. A única ilação que retiro, é que é uma coisa normal. Como se a corrupção além de estar institucionalizada também fosse genética e logo hereditária. Mas é mesmo assim? Será que não existe um único angolano honesto neste mundo?
Existir possivelmente até existem mas não são noticia e portanto não servem de exemplo para ninguém, pergunto-me, se essa omissão é voluntaria ou imposta?
Parafraseando Martin Luther King Jr, não me assusta a perversidade e a crueldade das pessoas más, mas sim o silêncio das pessoas boas, a questão é saber, se Martin Luther King diria o mesmo se fosse angolano porque possivelmente em Angola existem mais pessoas perversas do que de índole boa.
Em Angola impera a lei da sobrevivência para a generalidade da população, quando se tem fome e não se têm os meios, tudo acaba por ser permitido, só quem nunca foi confrontado pela dificuldade não poderá entender a lei do mais forte.
Para a plebe é uma questão de sobrevivência e para a aristocracia? Creio que é uma questão de ganância e soberba, uma forma de garantir os privilégios já adquiridos e manter o Status Quo. Convém sempre separar as águas, manter os pobres ainda mais pobres e os ricos ainda mais ricos. A honestidade não é compatível para quem em absoluto nada tem e para quem tudo quer.


Pedro Van-Dúnem

quinta-feira, 17 de junho de 2010

GIRASSÓIS



Tem girassóis amarelos
o meu quadrado de sol
a vida espancada passa
mas no quadrado de sol
aberto sobre o jardim
os girassóis amarelos
velhos
mostram o fim

LUANDINO VIEIRA

terça-feira, 15 de junho de 2010

Adeus à hora da largada

Minha Mãe
(todas as mães negras
cujos filhos partiram)
tu me ensinaste a esperar
como esperaste nas horas difíceis
Mas a vida
matou em mim a mística esperançaes
Eu já não espero
sou aquele por quem se espera
Sou eu minha Mãe
a esperança somos nós
os teus filhos
partidos para uma fé que alimenta a vida

Hoje
somos as crianças nuas das sanzalas do mato
os garotos sem escola a jogar a bola de trapos
nos areais ao meio-dia
somos nós mesmos
os contratados a queimar vidas nos cafezais
os homens negros ignorantes
que devem respeitar o homem branco
e temer o rico
somos os teus filhos
dos bairros de pretos
além aonde não chega a luz elétrica
os homens bêbedos a cair
abandonados ao ritmo dum batuque de morte
teus filhos
com fome
com sede
com vergonha de te chamarmos Mãe
com medo de atravessar as ruas
com medo dos homens
nós mesm
Amanhã
entoaremos hinos à liberdade
quando comemorarmos
a data da abolição desta escravatura
Nós vamos em busca de luz
os teus filhos Mãe
(todas as mães negras
cujos filhos partiram)
Vão em busca de vida.

AGOSTINHO NETO
(1922-1979)

segunda-feira, 14 de junho de 2010

PRESENÇA AFRICANA

E apesar de tudo,
Ainda sou a mesma!
Livre e esguia,
filha eterna de quanta rebeldia
me sagrou.
Mãe-África!
Mãe forte da floresta e do deserto,
ainda sou,
a Irmã-Mulher
de tudo o que em ti vibra
puro e incerto...
A dos coqueiros,
de cabeleiras verdes
e corpos arrojados
sobre o azul...
A do dendém
Nascendo dos braços das palmeiras...
A do sol bom, mordendo
o chão das Ingombotas...
A das acácias rubras,
Salpicando de sangue as avenidas,
longas e floridas...
Sim!, ainda sou a mesma.
A do amor transbordando,
pelos carregadores do cais
suados e confusos,
pelos bairros imundos e dormentes
(Rua 11!... Rua 11!...)
pelos meninos
de barriga inchada e olhos fundos...
Sem dores nem alegrias,
de tronco nu
e corpo musculoso,
a raça escreve a prumo,
a força destes dias...
E eu revendo ainda, e sempre, nela,
aquela
Longa história inconsequente...
Minha terra...
Minha, eternamente...
Terra das acácias, dos dongos,
dos cólios baloiçando, mansamente...
Terra!
Ainda sou a mesma.
Ainda sou a que num canto novo
pura e livre,
me levanto,
ao aceno do teu povo!


ALDA LARA


(Naiceu 1930- Morreu1962)

Benguela,1953 (de Poemas,1966)

sábado, 12 de junho de 2010

Voz do sangue

Palpitam-me

os sons do batuque

e os ritmos melancólicos do blue
Ó negro esfarrapado do Harlem

ó dançarino de Chicago

ó negro servidor do South
Ó negro de África
negros de todo o mundo
eu junto ao vosso canto

a minha pobre voz

os meus humildes ritmos.
Eu vos acompanho

pelas emaranhadas áfricas

do nosso Rumo
Eu vos sinto

negros de todo o mundo

eu vivo a vossa Dor

meus irmãos.

Poema de Agostinho Neto
O priméiro Pressidente Angolano

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Daqui apouco


Esta é a primeira Copa do Mundo da FIFA realizada no continente africano. A África do Sul havia se candidatado em 2006, mas perdeu por pouco para a Alemanha antes de enfim ganhar o direito de receber o maior evento do futebol mundial.
Nove cidades diferentes foram designadas como sedes e dez estádios serão utilizados no Mundial, que terá duração de um mês. A final acontecerá no Soccer City, em Johanesburgo, daqui apouco

O governo sul-africano gastou cerca de dois bilhões de libras (cerca de R$ 2,4 bilhões) em 24 projetos de desenvolvimento para a Copa. Os principais investimentos foram feitos na construção dos estádios, em melhorias nos transportes e em segurança.
 que vem o mudial nos estaremos lá

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Sair às ruas, buzinar, cantar, gritar e pintar o carro com as cores da seleção são alguns dos sinais da paixão pelo esporte bretão. Quando esses sinais tomam conta de uma nação que está prestes a participar da Copa do Mundo da FIFA, costumamos nos referir ao fenômeno como febre do futebol. Mas quando o amor pelo esporte das multidões e a ânsia incontrolável de acompanhar as partidas da equipe do coração conduzem a comportamentos mais extravagantes, nos encontramos sobre a linha tênue que separa o normal e o patológico. A poucos dias do auge da epidemia que vai contaminar o planeta bola, o FIFA.com faz o diagnóstico de alguns casos mais graves relatados recentemente.
Berço do futebol moderno, a Inglaterra é também o local mais propício para se observarem as consequências da loucura despertada pelo Mundial. Estudos mostram que o torneio tem efeitos sobre os súditos da rainha de norte a sul do país, com registros de queda de produtividade e ausência no trabalho mais elevados a cada quatro anos. Coincidência?

Parece mesmo difícil se concentrar nas tarefas do dia a dia durante a grande festa do futebol. Em Bangladesh, estudantes da Universidade de Engenharia e Tecnologia sabem disso muito bem, já que fizeram de tudo para que as datas dos exames fossem adiadas em 2006. Pressionado por milhares de futuros engenheiros, o reitor acabou decidindo transferir as provas — inicialmente marcadas para acontecer entre 3 e 24 de junho — para 14 de julho, dois dias depois da final da Alemanha 2006.
Prontos para todos os sacrifícios

Se você é um dos que fariam de tudo pelo Mundial, chegou a hora de demonstrar. O que você está disposto a fazer para que a sua seleção levante a taça na África do Sul? Seja cauteloso, pois daqui a um mês você pode precisar cumprir uma promessa meio maluca!

Estamos nesta emoção aqui na África do sul

terça-feira, 8 de junho de 2010

A taça da copa

Expectativa e otimismo no país-sede


Daqui a apenas três dias, a África do Sul finalmente estenderá o tapete vermelho para as 32 melhores seleções do planeta. A Copa do Mundo da FIFA fará a sua estreia no continente africano na sexta-feira, 11 de junho, no novíssimo estádio Soccer City, em Johanesburgo. Quando os anfitriões pisarem no gramado para enfrentarem o México, estarão protagonizando um dos momentos de maior orgulho para os habitantes do país localizado na extremidade sul da África.
Como era de se esperar, a paixão pela Copa do Mundo da FIFA se espalhou com força pelas nove províncias da África do Sul, e a euforia só aumenta com a proximidade do evento máximo do futebol mundial. Da mesma forma, a confiança está alta depois de dez anos de preparação para o que muitos sul-africanos descreveram como o "segundo milagre" do país, após a tão esperada democratização.
Se uma pessoa viajar pela África do Sul, as primeiras cenas que provavelmente verá serão as bandeiras do país hasteadas em pontos altos ou presas em carros nas ruas. "Acho que o país inteiro está unido em torno de um único objetivo, que é o de tornar este Mundial um sucesso retumbante", declarou ao FIFA.com James Straider, residente de Johanesburgo. "Cada vez que olho para o relógio de contagem regressiva, fico nervoso, e acho que é a empolgação que faz isso."
John Smit, capitão da seleção sul-africana de rúgbi e líder do selecionado campeão mundial do esporte em 2007, também está animado. "Já presenciamos cenas únicas no nosso país, mas estamos todos ansiosamente esperando o início deste torneio", disse. "Nós todos acompanharemos de perto a trajetória dos nossos Bafana Bafana, e desejamos a Aaron [Mokoena] e aos outros jogadores toda a sorte do mundo."

Um dos torcedores de futebol mais famosos e populares do país, conhecido como "Machaka", acredita que a seleção da África do Sul será um orgulho para a nação. "Com certeza torcerei pela Bafana, embora eu tenha uma queda por outras seleções", declarou o exuberante torcedor. "Mas, para nós, sul-africanos, é importante deixar de lado qualquer diferença que possamos ter para garantir que este torneio seja um sucesso. Já se falou muito sobre o nosso país e a nossa capacidade de organizar um torneio desta magnitude, mas agora estamos animados."

Muito do otimismo da nação arco-íris, como passou a ser chamada carinhosamente a África do Sul após o apartheid, é creditado à grande fase em que se encontra a seleção do país. Sob o comando do experiente Carlos Alberto Parreira, o selecionado se recuperou em tempo depois de uma seca de boas apresentações. Com muita garra, a equipe conseguiu vitórias contra seleções de alto nível, como a Colômbia e a também classificada Dinamarca. Após altos e baixos nos últimos anos, o sucesso recente renovou as esperanças entre os jogadores, que estão prontos para encarar México, França e Uruguai no Grupo A.
A maioria das 32 seleções que disputarão a Copa do Mundo da FIFA já chegou ao país-sede e está se preparando para o evento. Sem exceção, todas elas aprovaram a organização do torneio pela África do Sul. Todos os sinais apontam para momentos eletrizantes no mês que teremos pela frente.

Colheça um pouco o turismo no pais da copa


Passados os 10 anos, a África do Sul se tornou um dos destinos de viagem que teve o mais rápido crescimento no mundo, que contribui com 7 a 8% do PIB nacional e emprega cerca de 3% de trabalhadores sul-africanos.
O país oferece a qualquer turista uma vasta variedade de opções. É uma terra de inigualável esplendor e diversidade, desde trilhas de escaladas, balonismo e bungee jumping a rafting, surf e golfe, até locais considerados herança do mundo, tour pelos campos de batalhas ou observação de baleias ou um tour nas vinícolas.
A África do Sul não é simplesmente um destino de viagem qualquer, é uma experiência que permanecerá com o visitante por toda vida. Frequentemente descrita como um mundo em país, a África do Sul oferece ao visitante uma variedade de paisagens de tirar o fôlego, de deserto e florestas exuberantes a elevações montanhosas e vastas planícies desertas. Culturalmente tão diverso como as paisagens, muitos vistantes são atraídos para experimentar o milagre da pacífica derrubada do Apartheid. Outros são atraídos pelas infinitas praias douradas, safári fotográfico, mergulho ou turismo ecológico e a observação de pássaros. Bem ajá o mundial aqui na Africa

sábado, 5 de junho de 2010

O Nosso Futuro é Agora


São muitas as situações que as nossas crianças anivel do mundo tem vindo a enfrentar, elas que são o futuro de hoje não do amanha. Numa visão que eu tivi as nossas crianças tem sido alvo de muitos mastratos, abusso sexual, esploração, e outros. Varias são as situações de crianças a serem mautratadas esquecendo-se que elas são o futuro de hoje para contruir o amanha. São muitas políticas que ficam na carteira sobre o futuro delas, mas ate agora vemos muitas das nossas crianças a sofrerem. Amigos salvemos as nossas crianças contra abussos sexual, de maustratos, para pensarmos no nosso mundo do amanha melhor, para agreditar neles e para que o nosso mundo esteja bem melhor, Vamos fazer alguma coisa pelos nossos peguenos vamos cuidar do funturo de hoje.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Alcione volta a actuar na Casa 70

A cantora brasileira Alcione volta a "desfilar" os seus temas de maior sucesso na Casa 70, em Luanda, de 01 a 04 de Junho, no quadro das festividades do 12º aniversário daquela promotora angolana de espectáculos.
Segundo uma fonte daquela empresa, ouvida hoje pela Angop, a artista regressa àquele espaço com uma figura emblemática do Carnaval do Rio de Janeiro, Neguinho da Beija-Flor, com quem vai partilhar o palco pela primeira vez, em Angola.
Esta será a primeira actuação do vocalista principal da escola Beija-Flor de Nilópolis em Angola, explicou a fonte, sem precisar a data da chegada de ambos a Luanda.
Alcione e Neguinho da Beija-Flor actuam na Casa 70 nos dias 01, 02, 03 e 04, quatro espectáculos em que a sambista conta apresentar velhos e novos temas de sucesso, alguns dos quais incluídos no seu 34º álbum "Acesa", saído em Julho de 2009.
De igual modo, Neguinho da Beija-Flor vai interpretar os seus maiores temas musicais, sobretudo os do recentemente CD e DVD "Menino de pé no chão".
Alcione Dias Nazareth nasceu em São Luís do Maranhão, a 21 de Novembro de 1947. Em meados dos anos 70, foi para São Paulo, onde conheceu o cantor Jair Rodrigues.
Nessa época, também costumava apresentar-se com o cantor Emílio Santiago, na boate "Preto 22", em Ipanema, Rio de Janeiro. Em seguida viajou à Europa, onde ficou por dois anos.
O seu disco de estreia saiu em 1972, apadrinhado por Jair Rodrigues, que a levou para a Polygram.
A sua discografia tem 34 discos, entre os quais "A Voz do Samba" (1975), "Morte de um poeta" (1976), "Pra que chorar" (1977), "Alerta geral" (1978), "Gostoso veneno" (1979), "E vamos à luta" (1980), "Alcione" (1981) e "Dez anos depois" (1982).
Já Neguinho da Beija-Flor tem 32 anos de carreira e uma legião de fãs espalhados pelo Brasil. Peça importante no samba e na música popular brasileira, ele é intérprete e compositor, sendo conhecido no seu país como "o intérprete dos intérpretes".
Puxador da escola Beija-Flor de Nilópolis-RJ, o artista faz também carreira sólida independente do Carnaval.
Dono de uma voz potente e afinada, estreou como puxador de samba no bloco Leão de Iguaçu, em 1970, transferindo-se para Beija-Flor de Nilópolis em 1975,onde está até hoje.
Ao longo da carreira, compôs e interpretou temas como "Ângela" (Serginho Meriti / Alexandre), "Divina" (Alexandre), "Magali, Esmeralda e o Campeão", a sua composição de maior sucesso.
Tem já 30 discos gravados.