quarta-feira, 28 de julho de 2010

Vem ver a nova Lisboa por aqui. Huambo em tempo de paz



Huambo é uma província de Angola. Tem de área 35 771 km2 e sua população aproximada é de 2 225 000 habitantes de etnia predominantemente umbundo. A sua capital é a cidade de Huambo.


Huambo foi a província com mais população de Angola até antes da Guerra Colonial (na época chamava-se Nova Lisboa), lugar que passou posteriormente a ser ocupado pela província de Luanda.

Tem um clima tropical de altitude, frio, saudável e com sol na primavera.

onze municípios nas qual citamos as mas importante três :

• Huambo

• Bailundo

• Caála

É limitada pelas províncias de Kwanza-Sul, Bié, Huíla e Benguela.

As principais produções de agro-pecuária são: citrinos, batata batata-doce, arroz, feijão, trigo
Estrada entre Ucuma e Huambo

A maior altitude do país situa-se no Morro Moco desta província, com mais de dois mil metros de altitude, e desta zona irradiam numerosos rios e riachos em direcção ao litoral e países vizinhos.

Por ela passa o extenso caminho de ferro de Benguela (CFB), vindo do litoral (Lobito) e indo até à fronteira com a República Democrática do Congo. Antes da independência nacional, esta era a via preferida para o escoamento dos minérios e mercadorias vindas do Congo e Zâmbia.

A província do Huambo já foi, e agora, em tempo de paz, pretende voltar a ser, a principal produtora e exportadora de batata e milho do país.

 Postado por Florentino Calei

Huambo quem ti viu e quem te vê !!!!!!!!

Jardim priméiro de Maio Patio da direcção provincial da Culturaolhando a distancia o jardim

Largo defronte a biblioteca InfantilTravessa para o jardim

Um poste de amigos 

terça-feira, 27 de julho de 2010

Huambo acolhe a oficina de comunicação para a mobilização social Media, Comunicação & Website Programa Officer

Mais de 20 elementos de diversas organizações da sociedade civil de Luanda, Benguela, Huila Cabinda, Huambo nesta terça feira 27 e na quarta feira 28, estão a ser Capacitados na cidade do Huambo com ferramentas de comunicação interna e externa, no Sector da Media, Comunicação e Website.o encontro esta a decorrer Na bibrioteca municipal contatino camole defronte ao jardim primeiro de maio.


Com objectivo de capacitar as organizacões da sociedade civil angolana com ferramentas de comunicação interna e externa, no Sector do Media, Comunicação e Website, o encontro esta a ser realizado FOS- (Fundação open socity) Angola é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, que financia e implementa projectos e tem como missão a promoção de uma sociedade aberta, a justiça social, a democrácia, a transparência, a garantia e o respeito dos direitos humanos.

A formadora é a jornalista brasileira Liseane morosine




sábado, 24 de julho de 2010

VEM, AMOR

vem, amor

vem
vamos sentir o frio dos meninos
que ficaram sem ninguém
vem, amor
vem
sob o braço prateado da noite de luar
ouvir o eco da morte e da vida
e ecoar
nossa grandeza

sexta-feira, 16 de julho de 2010

COMISSÃO AD-HOC DOS MORADORES DO BAIRRO IRAQUE
(Chimbicato)

NOTA DE IMPRENSA
Leva ao conhecimento do público em geral que realizará neste sábado dia 17 de Julho, uma marcha de protesto contra as demolições que têm ocorrido aqui em Luanda e contra a perseguição dos activistas dos Direitos Humanos aqui em Angola.
A concentração dos manifestantes está marcada pelas 13:00 horas no Maculusso, junto a igreja da Sagrada Família.
Mais informa esta Comissão tomou todas as providências como manda as leis vigentes, desde a comunicação ao governo da província e o Comando da polícia Nacional.
Sendo imprescindível que o Vosso órgão de comunicação social acompanhe este acontecimento, agradecemos a vossa presença.

Luanda 15 de Julho de 2010

terça-feira, 13 de julho de 2010

Juventude deve aproveitar aspectos positivos das novelas

Os angolanos, particularmente os jovens, têm de ser educados a ter um sentido crítico muito apurado de modo a aproveitar o que de melhor se transmite nas novelas, para formação adequada da sua personalidade, defendeu hoje, em Luanda, o director da companhia de teatro Horizonte Njinga Mbandi, Adelino Caracol.


Adelino Caracol defendeu este ponto de vista quando abordado pela Angop para falar sobre a influência das telenovelas estrangeiras no comportamento e aculturação da sociedade angolana.

Segundo o também encenador, se as pessoas, desde o ensino primário em disciplinas como moral e cívica e língua portuguesa, lhes forem dadas ferramentas essenciais de como apreciar e interpretar uma obra artística, desde o texto, a trama e a finalidade da novela, com maior rigor, saberão aproveitar esta importante forma de veicular valores e comportamentos.

“É efectivamente notório no nosso país que as novelas, em especial as brasileiras, têm estado a ter uma influência muito negativa no comportamento do angolano, desde a forma menos boa como a juventude se veste, bem como no agir. Isto é muito preocupante”, asseverou.

No entanto, ressaltou, o problema não é das novelas em si, mas sim da falta de um educação virada a preparar as pessoas a lidar com a arte de modo a que retirem elementos que sirvam o progresso da sociedade em vários domínios.
“ Se o pai, a mãe e os filhos tiveram essa visão do que vêem na televisão, no caso concreto nos programas de entretenimento, não terão muitos problemas relativos à absorção de condutas negativas que afectem a formação integral da família”, asseverou.

Adelino Caracol advogou também a necessidade de se produzirem, cada vez mais, novelas que retratem a realidade angolana de modo a que os nacionais se revêem no que vêem. “Esta atitude, sem dúvida, é uma das formas que fará com que saibamos donde viemos, onde estamos e para onde vamos”, apontou.

Tendo em conta esta preocupação, o responsável da companhia Njinga Mbandi informou que o seu colectivo tem estado a formar, há mais de cinco anos e com a colaboração de especialistas estrangeiros, técnicos, guionistas e actores, de modo a que no futuro consigam levar na TV, de forma séria, responsável e com mais frequência, os conteúdos nacionais em programas de entretenimento como nas novelas.

Fonte: ANGOP

sábado, 10 de julho de 2010

UMA PLANATA, PLANTANDO SONHOS


no canto do fim do mundo
há uma flor
contando histórias
á porta da minha casa
há uma planta
plantando sonhos
O meu sonho

é sonho de areias no deserto
é vento lento batendo
nas casuarinas sonolentas
em torno do Futoro.

segunda-feira, 5 de julho de 2010



Se um dia eu entrar em tua casa não te assustes
Foi a saudade que apertou demais meu coração...
Se sentires uma presença em teu quarto não te alarde
Sou eu que venho implorar teu amor
É o desejo que sinto por ti...

sábado, 3 de julho de 2010

Cela comum!!!!


É preciso estar-se convencido de estar vivo

para estar vivo
mesmo que as paredes falem,
embrutecido o olhar.
Mas quantos são
o que vivendo
sabem que viver
é ter presente a terra recusada?
Ladrões e assassinos
mendigos e drogados
um velho murmura as suas rezas
e o poeta jovem
preso no átrio da sua faculdade
 canta as flores úmidas
das noites importadas;
não despertados ainda
não acordaram para a noite
que os domina.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Quem São os Verdadeiros Inimigos da Pátria?

Sou filho de uma sociedade intensamente militarizada, profundamente politizada e onde, durante longos anos, a força e a prepotência primaram sobre a razão e o Direito. Faço parte de uma geração que cresceu sob uma cultura de medo, terror e opressão das consciências. Por isso, nunca escondi os medos que sinto em partilhar convosco as minhas experiências e expor, publicamente, as minhas ideias.


Há 6 anos que o Semanário Folha 8 faz questão de publicar as minhas reflexões. E movido pelo desejo de partilhar as minhas ideias com o maior número possível de angolanos e amigos de Angola, há 5 anos que elas são divulgadas no blogue «Angolainterrogada».
Acontece que essa exposição pública tem-me trazido alguns incómodos. É que as pessoas que não se revêem na minha forma de pensar e sentir Angola recorrem com frequência aos ataques pessoais para rebaixar as minhas ideias e demover-me das minhas convicções.
Sou um orgulhoso filho do Huambo. Nunca risquei este facto dos meus documentos e sempre assumi publicamente as minhas origens, mesmo durante os dolorosos anos de guerra em que ser do Planalto Central era uma espécie de maldição. Por isso, tenho conseguido tolerar os insultos dos tribalistas que me apelidam de agente dos obscuros interesses da UNITA e me acham menos angolano por ser do Huambo.
Sou um cidadão ciente dos seus direitos e das suas obrigações cívicas. Mas sei perfeitamente que não é fácil exercitar a cidadania e questionar o rumo do País, numa altura em que, entre nós, ganhou força a ideia de que Angola está definitivamente bem. Por isso, tenho conseguido suportar os ataques pessoais dos fanáticos seguidores do governo de Eduardo dos Santos que me consideram mais um elemento do grupo de opositores do nosso esforçado governo e me colocam no grupo de agentes ao serviço das forças ocultas que teimam em não querer que Angola avance.
Há, contudo, uma ofensa que eu não aceito nem tolero: Dizerem que eu não sou um verdadeiro angolano por estar sempre a falar mal de Angola e não ser capaz de reconhecer o grande esforço do governo.
Desculpem lá, mas isso eu não aceito. Não admito que questionem o meu patriotismo e ponham em causa a minha angolanidade pelo simples facto de opinar, abertamente, sobre a amarga realidade do nosso problemático País e recusar-me a aceitar, cegamente, as velhas técnicas de maquilhagem dos problemas que têm emperrado o nosso promissor país.
Os fanáticos apoiantes do Governo têm imensas dificuldades em libertar-se da mais eficaz técnica de propagada imposta pelo MPLA de dos Santos: a armadilha da politização dos problemas de Angola.
Tudo em Angola está politizado. Lembro-me, por exemplo, de, no auge do conflito angolano, ir a um almoço em que os convidados que escolhessem comer o funge de milho eram considerados da UNITA e os que escolhessem comer funge de mandioca eram do MPLA!
Tudo em Angola está politizado. Se reclamas dos governantes, exerces os teus direitos e exiges uma vida digna, és automaticamente colocado no grupo daqueles que são contra o glorioso MPLA; passas a ser conotado com a oposição. Enfim, passas a ser visto como mau angolano e inimigo da pátria.
Assim, os puros angolanos e os verdadeiros patriotas são aqueles que se conformam perante o desigual usufruto dos lucros das nossas riquezas. São aqueles que não fazem caso da mediocridade dos nossos dirigentes. São aqueles que toleram os desmandos dos nossos políticos. São aqueles que louvam o mau desempenho dos governantes na gestão dos nossos recursos e na criação de condições que contribuam para o bem-estar físico e espiritual de todos os angolanos.

Não há em Angola um sistema de saúde eficiente. Os angolanos não conseguem ser tratados com humanismo e competência em Angola, em Hospitais angolanos e por médicos angolanos. Os dirigentes continuam indiferentes ao desumano estado da saúde nacional e persistem no sustento de uma rede privada de cuidados de saúde. Assim, mínima tosse, lá estão eles a correr para as clínicas da Namíbia. Para arrancar o dente, vão à África do Sul. Para fazer análises, vão ao Brasil. Para serem bem cuidados e aumentarem mais uns anos de vida, vão às clínicas de Portugal, Espanha e Inglaterra.
E todos os angolanos têm sido obrigados a seguir o mau exemplo dos dirigentes. Por isso, quem protesta e exige um sistema de saúde digno é, automaticamente, colocado no grupo daqueles que são contra o glorioso MPLA; passa a ser conotado com a oposição. Enfim, passa a ser visto como mau angolano e inimigo da pátria.
Assim, os puros angolanos e os verdadeiros patriotas são aqueles que não exigem o pleno usufruto das condições médicas e medicamentosas que lhes permitam viver neste mundo o mais tempo possível. São aqueles que aceitam calados as miseráveis condições dos hospitais públicos e o desumano estado da saúde nacional. Enfim, os puros angolanos e os verdadeiros patriotas são aqueles que andam de óbito em óbito e aceitam como vontade de Deus a imerecida morte dos seus entes queridos por causa de doenças facilmente curáveis.




José Maria Huambo
Fonte - http://www.angolainterrogada.blogspot.com/