sábado, 31 de agosto de 2013

Muitas igrejas, muitos problemas

Luís Fernando
 
As religiões, que deveriam ser parceiros de cada um de nós na construção de uma sociedade pacífica e feliz, e também de cidadãos conscientes, solidários e respeitadores da vida e dos direitos de cada um, estão cada vez mais vestidas com a capa da insolência e do perigo para as famílias e para a sociedade. É assim nesta Angola de início do séc. XXI. A coisa vem, no entanto, do século passado.

 É estranho que em nome do mesmo Cristo proliferem igrejas aos milhares, algumas confinadas a uma garagem ou armazém, mas todas elas dizendo-se baseadas na mesma Bíblia. Cada uma delas com uma particularidade que a diferencia das outras. Se umas proíbem os fiéis de comer carne de porco, outras proíbem-nos de aceitar sangue doado. Há as que rezam cultos apenas depois da meia-noite, há as que impõem a cor das roupas, etc. todas elas se sustentam com os dinheiros dos fiéis, ou melhor, os seus pastores e bispos.

 Há famílias que perderam os bens, não em nome da fé ou da religião, mas roubadas por supostos guias espirituais. As universais e mundiais e pentecostais novas brasileiras, por exemplo, embora mais discretas, depois da hecatombe do DIA do FIM em 2012, continuam a ir ao bolso do crente. Substituíram a prática do ruído pela do sussurro, mas não se tornaram santas. Basta ver a multiplicidade e a facilidade com que produzem milagres em massa todos os dias. Mas estes pastores não tiveram já tempo para operarem um milagre na sociedade a acabarem com a fome, com a miséria e com a violência contra inocentes? Este é o propósito de Deus, para todos.

 O Islão, por seu lado, também se alimenta fartamente em Angola, ainda que sem reconhecimento oficial do Estado. Os seus fiéis estão presentes nos milhares de cantinas e armazéns por todo o país. A posse das cantinas é ilegal, os seus vendedores são ilegais na sua maioria, as suas mesquitas são ilegais. Nada se sabe sobre como se organizam, como exportam capitais, como educam os filhos, da validade dos seus casamentos com angolanas e angolanos.
Ainda não se lhes ouviu chamarem-nos em voz alta de infiéis, mas consideram assim a grande maioria dos angolanos. Ainda não tomaram posições públicas de força, mas continuam a sua evangelização, convertendo angolanos. E já são um milhão.
Se as evangélicas brasileiras e congolesas estão na lógica da oportunidade do negócio, o islão, secular, tem outros fins, acredita que o profeta mandou cobrir o mundo com o seu manto, tal como o catolicismo crê ser esta a sua missão. O problema está nas intolerâncias e na capacidade do Estado(todos nós) defender os seus princípios de laicidade, a lei, os direitos individuais e de pôr fim ao uso da religião com fins económicos de políticos.
 
Director do jornal O País,
passou pela direcção do Jornal de Angola
e é autor de vários romances.


 

domingo, 25 de agosto de 2013

Jovens da Igreja Adventistas do Sétimo dia realizam campanha de limpeza


Mais de cem (100) jovens da Igreja Adventistas do Sétimo dia do distrito eclesiástico de kaimama realizaram uma campanha de limpeza no troço Calumba, Catumbela neste Domingo 25 de Agosto de 2013.

Os Jovem mostraram o seu empenho em deixar aquele troço limpo com pás, enxadas e vassouras. De lembrar que os Jovens fazem parte das Igrejas de Kaimama, Alto S. João, Listra, Macedónia e Galileia.

O grande objectivo desta actividade segundo os organizadores é para dar um outro brilho naquela importante via que liga o município do Lobito e Catumbela.

Moradores dos bairros Africano, S. João, Calumba, Santa Cruz, Lobroque, estão satisfeitos e realçaram o empenho da Igreja Adventista do Sétimo Dia como pioneira em trabalhos socias.

Visto que o troço Calumba, Catumbela esta esquecido pelas autoridades locais. Pueras, lamas águas-paradas fazem o senário daquela via segundaria da estrada nacional nº100 em pleno centenário da Cidade do Lobito.
 
 By- Florentino Calei.
25- Agosto de 2013

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

O Colam Xuxuado

O seu uso é bastante criticado, mas rapidamente invadiu o mercado da moda em Angola. Destemidamente diversas jovens usam-no até mesmo em lugares e ambientes mais clássicos.
 O Colam Xuxuado é uma indumentária feminina que não passa despercebida. A vestimenta ajusta-se ao corpo de quem a usa e em geral é usada sem roupa interior, o que deixa completamente marcado os órgãos genitais femininos.
 A indumentária usada maioritariamente por adolescentes e jovens já se tornou moda. Nos últimos meses passou a ser comum em organização de eventos festivo.
Daqui vai as minhas perguntas. O Xuxuado.
1. É um desrespeito aos modelos comportamentais ou é um choque à cultura angolana?
2. É um atentado ao pudor? Colocam a integridade das mulheres em risco sendo um convite para prática de crimes contra elas mesmas?
3. É um problema conjuntural, que vai desde a degradação dos valores morais
4. Ou é uma Expressão da auto-estima.
Deixe ficar a sua opinião!
Florentino Calei

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Não Perca Hoje “Viver para Vencer”


O  Papel da Comunicação Social no Ensino Primário estará em análise  hoje (4ª feira 21-Agosto-13), na Rádio Morena Comercial - Benguela/Angola.

Pretendemos  refletir  sobre o envolvimeto da comunicação Social, na melhoria da qualidade do ensino primário.

Convidados no estúdio:
  T.P.A Benguela;
  Ràdio Benguela;
 Direcção Provincial da Educação;
 Convidado Residente David Calivala;  
 Não deixe de acompanhar, logo mais, quando forem 17 horas, a 23ª sessão radiofónica "Viver para Vencer". Sintonize 97.5 ou 96.0 e oiça a Rádio Morena Comercial - Benguela.
Por 90 minutos em directo, Especialistas de Saúde e Educadores Sociais, entre outros, abordarão o tema de forma aberta, interactiva e esclarecedora.
Como sempre, os ouvintes são igualmente chamados a participar, através do terminal telefónico +244 925 77 97 50.
"Viver para Vencer" - um espaço de opinião e mesa redonda, emitido semanalmente (as 4ª feiras, em directo) pela AJS - Associação Juvenil para a Solidariedade. Educação, Cidadania e Saúde Preventiva são as principais preocupações do programa.
"Viver para Vencer" - Fazemos rádio a contar consigo, na promoção da mudança social!
"Ligue e Participe! Nós damos voz à sua opinião!

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Beto Cassua prepara filme

O espectáculo de teatro do grupo Etu Lene “O Feiticeiro e o Inteligente” vai ser adaptado ao “grande ecrã”, informou ontem, em Luanda, em entrevista exclusiva, o encenador Beto Cassua. O encenador explicou que o filme vai ser rodado num cenário na província de Malange.
A longa-metragem vai passar nas salas de cinemas em breve. O filme conta com a participação de actores originários de Malange que vão ser submetido a um curso de cinema e interpretação dramática.
De acordo com Beto Cassua, o texto originário da peça está a ser analisado para a introdução de novos elementos sobre casos de feitiçaria que têm acontecido no país, principalmente as acusações feitas às crianças e aos jovens que buscam riquezas por meio de magia e de indivíduos acusados de matar familiares para obter bens materiais.
Beto Cassua explicou ainda que a película tem a vertente educativa com respostas a diferentes casos de feiticismo vistos em várias regiões de Angola como tem acontecido em algumas áreas do Sul e Norte do país, velhas a serem mortas por serem suspeitas da causa do falecimento dos netos.
O feitiço em África é algo que merece uma investigação profunda. “Eu como homem da arte devo procurar respostas. Oiço, por exemplo, que um jovem na Lunda-Norte tentou violar a mãe para ficar rico. O que tenho a fazer é procurar saber por que o jovem foi ao quimbandeiro”, disse.

Fonte Jornal Online.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Dez pessoas morreram ontem num acidente de viação em Inhaminga


Com este acidente, sobe para mais de 60 o número de vítimas mortais registadas em menos de duas semanas em todo o território nacional.

Mais um acidente de viação grave resultou na morte de dez pessoas no fim do dia de ontem, no distrito de Inhaminga, na província de Sofala. Problemas mecânicos são apontados como as causas do acidente, pois o veio de transmissão do camião teria se desprendido e, em consequência, o carro ficou desgovernado, capotando de seguida.
Na altura do acidente, a viatura transportava sacos de peixe seco e as pessoas por cima dos sacos, o que terá concorrido para o elevado número de mortos.
No local, terão morrido seis pessoas, e outras três perderam a vida no Centro de Saúde da Vila de Inhaminga. a décima vítima veio a morrer já a caminho do Hospital Central da Beira.
O camião, com a chapa de inscrição ABN 815 MC, partia do posto administrativo de Galinha, no distrito de Muanza, à província de Nampula.
O acidente ocorreu próximo do rio Chissadze, no posto administrativo de Inhamitanga, a 40 quilómetros da vila sede do distrito de Inhaminga, Sofala. Quanto a feridos, não há ainda um número exacto.

Fonte: Jornal O País.