terça-feira, 26 de agosto de 2014

Benguela acolhe o Lançamento Oficial do Livro “Comportamento Eleitoral dos Jovens Angolanos nas Eleições de 2012”




Lançamento do Livro-Comportamento Eleitoral dos Jovens Angolanos nas Eleições de 2012” dos Autores Mário Pinto de Andrade, David Boio e Mbangula Katúmua.
A obra constitui um breve subsídio à compreensão da percepção dos angolanos relativamente ao comportamento eleitoral dos jovens no quadro das eleições de 31 de Agosto de 2012, dando especial destaque à abstenção eleitoral. A obra procura identificar o perfil dos jovens que não votaram, as razões desta tomada de decisão (não votar), a integração dos jovens na política partidária (militância partidária), a confiança dos jovens nas instituições e lideranças políticas angolanas, a audiência, papel e influência dos meios de comunicação social, entre outros, constituindo deste modo um contributo de enorme valor para a “construção das primeiras bases teóricas para análise em estudos futuros”.
É neste quadro que a ADRA – Antena Benguela e a AJS – Associação para Solidariedade Juvenil promovem a sessão de apresentação da obra acima referenciada, a realizar-se a partir das 09h00 do dia 29 de Agosto de 2014 no salão da UNTA – CS, na Cidade de Benguela.
 
Florentino Calei 

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Bairro de Santa Cruz ViVe as "Noistes de Palco Aberto"



“A Juventude e o seu convívio com a Violência”, foi tema da 3ª edicção das Noites de Palco Aberto no último Domingo, 10/08/014. A conversa interactiva com mais de 45 jovens e adolescentes, no espaço das 20 às 22 horas, organizado pelo Grémio de Artes Elongiso (G. A. E), na sala de reuniões da AJS – Associação Jovenil para a Solidariedade, situada no bairro da Santa Cruz no município do Lobito, província de Benguela, é uma das actividades do projecto “Consciência Activa”.
Com a apresentação de Gildo Fernandes e Felício Rodrigues e a animação teatral do Elongiso teatro. e a música a cargo dos músicos Fred & AG (Força Genuina), Kid Man, Vasco Chioca, Valente Fuca (Valente Swegger) e Justino Lútero (Bany), dos bairros do São João, Santa Cruz e Canata, respectivamente, relevou questões como: o que é violência? Os tipos de violência. Qual dos génerso é mais propenso à violência? As causas da violência. Como reagir diante de uma situação propensa a violência?
Entre os participantes, frases como “A obediencia é a chave do sucesso”; “é preciso reflectir sobre a violência antes e como é manifestada, se queremos evitá-la”; “O passado deve servir de lição para nós e encontrarmos vários recursos ou apoios para evitar a violência como procurar um psicólogo, praticar a leitura, beber da expriência dos mais velhos”.
O projecto “Consciência Activa” é uma iniciativa e implementação da AJS- Associação Juvenil para a Solidariedade

Por: Júlio Lofa

UNITA também denuncia intimidação política


Este caso surge depois de deputados da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) visitarem a província central do Huambo para averiguar o "crescimento dos atos de intimidação e intolerância política" naquela região.
 
Líder parlamentar da UNITA, Raúl Danda
Na ocasião, Raúl Danda, chefe da bancada parlamentar do maior partido da oposição, falou também da situação em Cabinda. Danda denunciou a existência de perseguição política e a violação dos direitos humanos na província, afirmando mesmo que há, neste momento, uma forte presença militar nas áreas do Lika, Luango e noutras zonas centrais do enclave, que já terá levado à detenção ilegal de vários cabindas.
"Porque terá havido algumas ações – não se sabe se foram da autoria da Frente de Libertação do Enclave de Cabinda (FLEC) ou se foram simuladas. Mas estão a prender pessoas lá. Há pessoas que morrem em Cabinda. É preciso acabar com isto", afirmou Raúl Danda.
 

Novas denúncias de intimidação política em Angola

O padre Casimiro Congo, uma figura emblemática de Cabinda e opositor ao regime de Luanda, diz que forças de segurança cercaram a sua casa. UNITA está preocupada com crescimento de atos de intolerância política no Huambo.
Patrulha policial em Cabinda (janeiro de 2009)
Em Cabinda, o padre Casimiro Congo, afastado em 2011 do exercício clerical da Igreja Católica, queixa-se de estar a ser perseguido pelos serviços secretos e pelo comando provincial da Polícia Nacional.
À DW África, Casimiro Congo denunciou que, este domingo (10.08), por volta das quatro horas da manhã, a sua casa esteve cercada por cerca de 45 militares fortemente armados, sob a direção do comandante da polícia local, Cristo Liberal, e do responsável local dos serviços secretos. As forças de segurança terão intimidado as pessoas que entravam e saíam da sua residência.
Um grupo de oração tem-se reunido todas as manhãs em casa do padre Congo, depois das autoridades terem fechado no mês passado uma Igreja ligada a si, denominada "Igreja Católica das Américas".

Novas denúncias de intimidação política em Angola

"Aqui em Cabinda, o que não está sob a cobertura do Governo, habitualmente, não consegue subsistir. Há pessoas que, cá em Cabinda, constituem um problema para o Governo. Eu sou uma delas", afirma o padre Casimiro Congo. "Não sei por que razão o regime angolano não compreende que não é hostilizando as pessoas que se resolve o problema de Cabinda."
"Não sou delinquente"
Para proteger a sua integridade física e a da sua família, nas primeiras horas desta segunda-feira, o padre Congo deslocou-se à Procuradoria-Geral da República em Cabinda para dar conhecimento da ocorrência.
Casimiro Congo anunciou que vai intentar uma ação judicial contra os responsáveis da polícia e dos serviços de inteligência: "Eles não me podem tratar como um delinquente, porque eu não sou delinquente", diz.
Todos os esforços efetuados para ouvir o comando provincial de Cabinda da Polícia Nacional não foram bem sucedidos.

Alvorada Napusso Saueie, é a nova secretaria da JMPLA



Alvorada Napusso Saueie, é a nova secretaria da JMPLA no município do que vai dirigir os destinos da organização juvenil do partido da maioria no Lobito durante quatro anos.
Secretária eleita da JMPLA, Alvorada Saueie, disse que a organização vai trabalhar com o mesmo espírito do primeiro secretário cessante, para manter as boas relações com o governo local e as empresas privadas, visando estabelecer uma plataforma de diálogo permanente na resolução dos problemas que afectam actualmente a juventude.
Para ela, a JMPLA deve possuir elementos primordiais para definir politicas juvenis em função das necessidades e anseios da classe e para que todas as massas juvenis estejam enquadradas no desenvolvimento do país.
Em meio há tantos problemas dos jovens ao nível nacional e no município do Lobito Eu só espero que este discurso sai do papel e se reflicta na vida dos jovens Lobitanga.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Corrupção em Angola abordada no fórum da sociedade civil em Washington

A corrupção e a fuga de capitais de Angola estiveram em discussão durante um fórum da sociedade civil realizado à margem da cimeira Estados Unidos/ África  em Washington.
Elias Isac, da organização Open Society, disse que o fórum da sociedade civil tinha como objectivo discutir a governação e responsabilidade política em África.
Na ocasião, foram abordados temas como eleições, liberdade de imprensa, conflictos e segurança.
Os países africanos, disse Isac, têm problemas similares mas há alguma diferença nos problemas que cada país possa enfrentar.
“Falamos de Angola como nós a conhecemos”, disse aquele representante da Open Society.
“Falamos da corrupção e da questão da fuga de capitais. E demos o grande exemplo do Banco Espirito Santo e outros vários exemplos de dinheiros que aprecem no Luxemburgo em Espanha, Genebra e Portugal”, adiantou.
“São casos concretos e a experiência de angola não difere de muitas outras realidades”, concluiu Elias Isac.
Redacção VOA
Cobalt Inc. investigada por corrupção em Angola
O alerta desta investigações das acções da companhia americana em Angola, chega numa altura em que o Vice-Presidente de Angola, Manuel Vicente, está nos Estados Unidos
 
As acções da empresa Americana Cobalt International Energy Inc. cairam em mais de 10 por cento depois de publicado uma investigação sobre corrupção às suas operações em Angola, que poderão conduzir a um processo contra o produtor global de petróleo, de acordo com o site Bloomberg.

Segundo o mesmo site, a Comissão de Títulos e Câmbios dos Estados Unidos (SEC – sigla em inglês) enviou um aviso à Cobalt, baseada em Houston, alegando violações de determinadas leis. O aviso faz parte de uma investigação que teve início em 2011, que indicia que a Cobalt tenha violado o Artigo sobre Práticas de Corrupção no Estrangeiro, em Angola, uma das suas maiores regiões de investimento e exploração.

A companhia disse estar a cooperar com a SEC e afirmou crer que as suas actividades em Angola estejam a decorrer todas de acordo com a lei.
Segundo uma nota do Deutsche Bank aos investidores, o aviso é “um alerta de que, apesar desta investigação já ter alguns anos, não deverá ser resolvida tão cedo”.
O Bloomberg refere que o CEO da Cobalt, Joseph Bryant, não quis fazer quaisquer comentários específicos sobre as alegações da SEC, mas afirmou que a Cobalt está segura das suas acções.

O alerta desta investigação às acções da companhia americana em Angola, chega numa altura em que o Vice-Presidente de Angola, Manuel Vicente, está nos Estados Unidos para a Cimeira Estados Unidos/ Líderes Africanos.
Manuel Vicente foi CEO da petrolífera Sonangol, empresa com a qual a Cobalt tem uma longa história de negociações.