Eu levo cá comigo
tanto olhar amigo
que já me mirou.

Levo também as tardes abafadas,
as manhãs quentes
a flor que já murchou.

Eu levo em mim tanta lembrança cara,
as ruas o pôr-do-sol;

Levo no peito, para que me integre,
uma bandeira vermenha..

Levo comigo a infância saudosa,
vivida

Levo a certeza de que a Deus pertenço,
a liberdade com que sempre penso,
os bons exemplos com que convivi.

Eu levo em mim a influência eterna
da família terna
que me fez quem sou.

Comentários

Irene disse…
Olá, Florentino !!!!

Tudo bem ??
Lindo, lindo e lindo, o seu poema.
Ele dá uma sensação de "lar, doce lar".....faz com que nos lembremos da delicia que representa o "retorno para casa".
E, realmente, é muito aconchegante estar proxima dos familiares que tanto amamos.

Um abraço !!!
Luxa disse…
LINDO!
PARABÉNS!
CONTINUE SEMPRE COM O SEU MELHOR
LUmeNA disse…
Olá Florentino,

Tenho uma surpresa para ti no meu espaço, lumynart.blogspot.com.

Passa por lá e repassa para o teu blog.

Abraços,
LUmeNA
Kimbanda disse…
Florentino, amigo!

Esse teu poema é cheio de sentimento e encanto.
Tudo o que somos, fomos construindo assim com as influências de tudo o que nos rodeia. A nossa terra, a família, por aí...
Gostei imenso e felicito-te.
Forte e amigo kandando para ti
Lady disse…
Boa páscoa querido!
Felicidades pra ti.
Bj
Olá Florentino, meu nome é Fábio, faço parte da equipe do Teatro Insite e gostaria de saber mais especificamente em que podemos te ajudar. Mande-nos um e-mail para teatroinsite@gmail.com e ficaremos felizes em sanar suas dúvidas.
Abraços

Mensagens populares deste blogue

17 de setembro, marca o Dia do Herói Nacional,

HISTORIAL DO INSTITUTO MÉDIO INDUSTRIAL DE BENGUELA

Arrumar um Parceiro na Alemanha