domingo, 29 de setembro de 2013

infidelidade carnal


Desfrutavam da infidelidade carnal

Perfidamente apaixonados

Enlaçados em seus corpos

Embriagados de luxuria

Em um escuro secreto

Entre paredes sigilosas

Um que não era do outro

O outro que não era de nenhum

Amor lúbrico, sem receios

Cheio de essências

Consumiam-se vorazmente

Descompromissados do mundo

Feito selvageria

Prendiam a coxa entre o ventre

Cravavam seus dentes

Sem deixar vestígios

Sem comentários: