segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Angola condena sem provas três activistas de organização pacifista cabindesa


Estavam vinculados a umha organização pro-direitos humanos. Human Rights Watch acha que a sentência tenciona "silenciar" as vozes críticas contra o Estado Angolano.


Após oito meses presos, três activistas de Cabinda e um ex-polícia têm sido condenados a diferentes penas de prisão por parte de um tribunal angolano, acusados de terem participado no ataque contra a selecção de Togo durante a celebração da Copa da África de Futebol. São Raúl Tati, padre católico; Francisco Luemba, advogado; e Belchior Lanso Tati, professor universitário.

Os três condenados tinham estado vinculados com a principal organização pelos direitos humanos de Cabinda, Mpalabanda, que Angola baniu sob a acusação de seguir actividades separatistas.

A organização em defesa dos direitos humanos Human Rights Watch (HRW) acha que as condenas dos três activistas e do ex-polícia –que vão dos três aos seis anos de prisão- tencionam "silenciar as críticas" em Cabinda e afirma que não há nenhuma prova para condenar os quatro homens. Ainda, HRW lembra que o ataque contra os futebolistas do Togo foi reivindicado pela Frente de Libertação do Enclave de Cabinda, e que os condenados não têm relação nenhuma com esta organização.

Também critica a sentência a Amnistia Internacional, organização que acha Raúl Tati e Francisco Luemba "presos de consciência" pelo seu compromisso com a procura de uma solução negociada e pacífica ao conflito de Cabinda. A entidade afirma que a legislação angolana em matéria de segurança estatal permite condenar de jeito arbitrário pessoas que não têm cometido nenhum crime.

Cabinda é um território separado fisicamente de Angola por uma faixa da República Democrática do Congo. O enclave, rico em petróleo, reclama independência, mas Angola nega que tenha direito a se separar.

4 comentários:

Lua Nova disse...

Meu amigo Florentino.
Por sua causa, fui ler sobre Angola, esse país bonito, tão rico em recursos naturais, com um povo sofrido que paga caro pela ganância dos mais poderosos e até de outros povos que se intrometem aí só pensando em tirar proveito.
Esse caso em particular é lamentável e espero que seja revisto de alguma forma e que inocentes não sejam usados em função dos interesses políticos e econômicos de uma minoria inescrupulosa e venal.
É a primeira vez que entro em contato com um angolano e fico feliz por isso. Espero que, através do seu blog, eu fique mais a par do que se passa por aí.
Qual a sua opinião sobre Cabinda? Você acha que é legítimo o desejo de independência deles?
Se quiser se corresponder comigo, meu e-mail é luanova.gtt@hotmail.com
Que vc tenha uma semana feliz, proveitosa e em paz.
Beijos.

Hana disse...

Olá querido amigo, anjo meu, olha eu passei um bom tempo aki, e li seus gritos, vários, e escolhi um para fazer uma humilde e seingela homeagem ao seu blog, claro se me permitir, levarei e vou postar amanha no meu Mural que se intitula QUEM SOU DEIXA MARCAS, e vc amigo deixa marcas por isso vai estar em meu mural, amanha ok, minha grande admiração por vc estara sendo demosntrada em meu blog, este é meu carinho para com a Angola, já que não posso fazer muito, mas faço um pouquinho que seja né. grande abraço, haha K D vc no meu orkut?hummmmmm

Sara Pereira disse...

eu tambem, muito obrigada (:

SAM disse...

Florentino,

vim do blog da minha amiga Hana conhecer o teu. Gostei muito do seu blog com conteúdo e que pude subtrair informações. Obrigada e parabéns pelo texto.

Carinhoso beijo.