sexta-feira, 4 de junho de 2010

Alcione volta a actuar na Casa 70

A cantora brasileira Alcione volta a "desfilar" os seus temas de maior sucesso na Casa 70, em Luanda, de 01 a 04 de Junho, no quadro das festividades do 12º aniversário daquela promotora angolana de espectáculos.
Segundo uma fonte daquela empresa, ouvida hoje pela Angop, a artista regressa àquele espaço com uma figura emblemática do Carnaval do Rio de Janeiro, Neguinho da Beija-Flor, com quem vai partilhar o palco pela primeira vez, em Angola.
Esta será a primeira actuação do vocalista principal da escola Beija-Flor de Nilópolis em Angola, explicou a fonte, sem precisar a data da chegada de ambos a Luanda.
Alcione e Neguinho da Beija-Flor actuam na Casa 70 nos dias 01, 02, 03 e 04, quatro espectáculos em que a sambista conta apresentar velhos e novos temas de sucesso, alguns dos quais incluídos no seu 34º álbum "Acesa", saído em Julho de 2009.
De igual modo, Neguinho da Beija-Flor vai interpretar os seus maiores temas musicais, sobretudo os do recentemente CD e DVD "Menino de pé no chão".
Alcione Dias Nazareth nasceu em São Luís do Maranhão, a 21 de Novembro de 1947. Em meados dos anos 70, foi para São Paulo, onde conheceu o cantor Jair Rodrigues.
Nessa época, também costumava apresentar-se com o cantor Emílio Santiago, na boate "Preto 22", em Ipanema, Rio de Janeiro. Em seguida viajou à Europa, onde ficou por dois anos.
O seu disco de estreia saiu em 1972, apadrinhado por Jair Rodrigues, que a levou para a Polygram.
A sua discografia tem 34 discos, entre os quais "A Voz do Samba" (1975), "Morte de um poeta" (1976), "Pra que chorar" (1977), "Alerta geral" (1978), "Gostoso veneno" (1979), "E vamos à luta" (1980), "Alcione" (1981) e "Dez anos depois" (1982).
Já Neguinho da Beija-Flor tem 32 anos de carreira e uma legião de fãs espalhados pelo Brasil. Peça importante no samba e na música popular brasileira, ele é intérprete e compositor, sendo conhecido no seu país como "o intérprete dos intérpretes".
Puxador da escola Beija-Flor de Nilópolis-RJ, o artista faz também carreira sólida independente do Carnaval.
Dono de uma voz potente e afinada, estreou como puxador de samba no bloco Leão de Iguaçu, em 1970, transferindo-se para Beija-Flor de Nilópolis em 1975,onde está até hoje.
Ao longo da carreira, compôs e interpretou temas como "Ângela" (Serginho Meriti / Alexandre), "Divina" (Alexandre), "Magali, Esmeralda e o Campeão", a sua composição de maior sucesso.
Tem já 30 discos gravados.

3 comentários:

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Uma das cantoras que mais gosto!

Ronald disse...

A Marrom é de um gogó imbatível. Um dos orgulhos do Maranhão!

Kamilly Almeida disse...

Eba,nossa Marrom é uma Diva mesmo!