terça-feira, 8 de junho de 2010

Expectativa e otimismo no país-sede


Daqui a apenas três dias, a África do Sul finalmente estenderá o tapete vermelho para as 32 melhores seleções do planeta. A Copa do Mundo da FIFA fará a sua estreia no continente africano na sexta-feira, 11 de junho, no novíssimo estádio Soccer City, em Johanesburgo. Quando os anfitriões pisarem no gramado para enfrentarem o México, estarão protagonizando um dos momentos de maior orgulho para os habitantes do país localizado na extremidade sul da África.
Como era de se esperar, a paixão pela Copa do Mundo da FIFA se espalhou com força pelas nove províncias da África do Sul, e a euforia só aumenta com a proximidade do evento máximo do futebol mundial. Da mesma forma, a confiança está alta depois de dez anos de preparação para o que muitos sul-africanos descreveram como o "segundo milagre" do país, após a tão esperada democratização.
Se uma pessoa viajar pela África do Sul, as primeiras cenas que provavelmente verá serão as bandeiras do país hasteadas em pontos altos ou presas em carros nas ruas. "Acho que o país inteiro está unido em torno de um único objetivo, que é o de tornar este Mundial um sucesso retumbante", declarou ao FIFA.com James Straider, residente de Johanesburgo. "Cada vez que olho para o relógio de contagem regressiva, fico nervoso, e acho que é a empolgação que faz isso."
John Smit, capitão da seleção sul-africana de rúgbi e líder do selecionado campeão mundial do esporte em 2007, também está animado. "Já presenciamos cenas únicas no nosso país, mas estamos todos ansiosamente esperando o início deste torneio", disse. "Nós todos acompanharemos de perto a trajetória dos nossos Bafana Bafana, e desejamos a Aaron [Mokoena] e aos outros jogadores toda a sorte do mundo."

Um dos torcedores de futebol mais famosos e populares do país, conhecido como "Machaka", acredita que a seleção da África do Sul será um orgulho para a nação. "Com certeza torcerei pela Bafana, embora eu tenha uma queda por outras seleções", declarou o exuberante torcedor. "Mas, para nós, sul-africanos, é importante deixar de lado qualquer diferença que possamos ter para garantir que este torneio seja um sucesso. Já se falou muito sobre o nosso país e a nossa capacidade de organizar um torneio desta magnitude, mas agora estamos animados."

Muito do otimismo da nação arco-íris, como passou a ser chamada carinhosamente a África do Sul após o apartheid, é creditado à grande fase em que se encontra a seleção do país. Sob o comando do experiente Carlos Alberto Parreira, o selecionado se recuperou em tempo depois de uma seca de boas apresentações. Com muita garra, a equipe conseguiu vitórias contra seleções de alto nível, como a Colômbia e a também classificada Dinamarca. Após altos e baixos nos últimos anos, o sucesso recente renovou as esperanças entre os jogadores, que estão prontos para encarar México, França e Uruguai no Grupo A.
A maioria das 32 seleções que disputarão a Copa do Mundo da FIFA já chegou ao país-sede e está se preparando para o evento. Sem exceção, todas elas aprovaram a organização do torneio pela África do Sul. Todos os sinais apontam para momentos eletrizantes no mês que teremos pela frente.

2 comentários:

Sil.. disse...

E a copa do mundo, vai parar o mundo!!

Um espetáculo a ser visto.
Que vença o melhor.

Voce é um querido! Obrigada pelo carinho de sempre!

fuxicando e criando disse...

Ola, passei aqui para agradece-lo pela visita e me tornei seguidora do seu blog.
Um grande abraço